Sementes  Crioulas

Herança da Sabedoria ancestral na agricultura  e  Sustentabilidade.

As Mulheres Agrícolas são as Guardiãs de Sementes Crioulas !

O que é Semente Crioula ?

Conheça a sua importância!

As sementes crioulas são obra da natureza e fruto das experiências camponesa e indígena.

sementes-crioulas-epagri%20(2)_edited.jp

Sementes Crioulas de muitos nomes:

“da paixão” 

   “da vida”

       “da partilha”              

            “da resistência”     

                “da gente”    

                          “da luta”

                              “da liberdade” 

As Mulheres Guardiãs de Sementes Crioulas,

foram as primeiras a cultivarem e mantiveram ao longo da história, como suas principais guardiãs.

Trabalhadoras do campo, da cidade e da floresta há diversas gerações, selecionam, produzem, armazenam, preservam sementes crioulas na defesa da agrobiodiversidade.

As Guardiãs e guardiões de sementes crioulas estão em todos os Estados do Brasil, comunidades organizadas com um vasto acervo genético sob o controle das camponesas.

Saiba mais...

Casal do Paraná está entre os maiores guardiões de                      Sementes Crioulas do Brasil.

Dentro da propriedade de Isac Miola e Vilma Zotti, na Linha Ibiaça,

em Dois Vizinhos - Paraná, está um dos maiores museus de

sementes e ramas do Brasil.

Eles conservam mais de 300 variedades de sementes de feijão,

milho, arroz, amendoins e ervilhas além de ramas de batatas

e mandiocas, entre outras.

“Só de feijão, eu tenho 137 variedades, uns 40 de corda,

que trepam e uns 90 e tantos que são baixos, normais.

Todos são comestíveis, os de corda são mais para salada,

as favas, os baixos são os que mais conhecemos,

alguns servem mais para broto.

Só de feijão cavalo eu tenho quatro variedades, com quatro cores diferentes”, resumiu Isac em entrevista para a Rádio Educadora. 

O objetivo é deixar para as futuras gerações essas variedades e a história do casal com conservação de sementes começou em 2004.

“A gente nem pensava nisso, mas fomos convidados a participar da 2ª Festa Regional das Sementes que estava acontecendo em Francisco Beltrão-PR. Levamos um pouco de semente que tínhamos e trouxemos um monte para casa. Gostei disso e comecei a perseguir esses eventos, até me tornar um guardião de sementes”, explicou Miola.

Evolução
O produtor destacou que a produção de sementes, no passado, era dessa forma, mas as variedades modificadas geneticamente estão ganhando cada vez mais espaço.

“O sistema que está em vigor foi adotado pela grande maioria, que considera o que a gente faz, atrasado. De uns 40, 50 anos, as coisas mudaram de um jeito que não tem mais volta. No começo, a gente até chegou a usar milho híbrido na propriedade, não transgênico, e pagava quatro sacos de milho para 40 quilos de semente, mas hoje tem que pagar 80 sacos de milho para comprar os mesmos 40 quilos de semente. O pessoal não percebeu ainda essa exploração. Nesse cenário, eu sei que o que estou produzindo, posso consumir sem problema nenhum, de saúde, de nada”, completou.

Mesmo num terreno bastante acidentado, o produtor conseguiu organizar essa grande produção de sementes e hoje é referência nacional e, neste cenário, recebe comitivas de visitantes constantemente.

“Já foram mais de 30 ônibus lá, de pessoas que vieram de todos os setores. No começo, a Cresol levava todos os agentes. Aí veio a UTFPR que começou a trazer os alunos, aí o professor Joel, que é de Agronomia, na matéria de renovações de recursos genéticos, já levou mais de 15 turmas de alunos nos visitar. Agora, o professor Alexandre acompanha a ‘Casa da Semente’, com orientação e colaborando com materiais. Recebemos também o pessoal do Movimento dos Sem Terra (MST), de Quedas do Iguaçu, uma delegação da Bélgica, uma da América Central, do México, América do Sul, a professora Bernadete já levou alunos do João Paulo II, do Colégio do Pio X, de São Jorge D’Oeste, além do São Francisco do Bandeira”, explica o produtor. 

Armazenamento
Com tantas variedades, o produtor encontra uma dificuldade de armazenamento que já está sendo resolvida. “Estamos sendo auxiliados pelo pessoal da UTFPR, esperando um medidor de umidade que é o que a gente precisa para ter certeza da qualidade das sementes. Eles vão trazer também os reagentes para fazer teste de germinação, que daí conseguimos garantir as sementes. Como armazenamos em litros pet, às vezes, a umidade pode ficar um pouco alta e pode perder, mas é difícil. O pessoal procura a maioria das sementes porque já estão quase extintas”, acrescenta. 

Isac Miola é apoiado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Dois Vizinhos, Cresol, Assessoar e UTFPR. “Eles nos ajudam com transporte, alimentação, hospedagem quando vamos para seis ou oito feiras todos os anos. É a Assessoar que nos ajuda com o custeio e a UTFPR nos ajuda com o conhecimento, materiais, agora também com embalagens, porque estamos montando uma mini-secadeira, além dos banners, faixas, que estão nos ajudando bastante”. 

 

“Guardiões da semente”
O casal duovizinhense faz parte de um grupo de aproximadamente 90 guardiões de sementes do Brasil.

“A gente conversa bastante pelo celular, o pessoal posta o que tem, a gente também. Aqui na região eu estou sozinho, mas temos outros guardiões perto. O que a gente ganha com isso não é tanto o financeiro, a gente precisa, mas não é o nosso objetivo, é conhecimento, oportunidade de sair, participar das feiras, novas amizades, a gente troca, vende e compra dos outros as sementes. Hoje, o objetivo é isso aí, não adianta só o financeiro”, conclui Isac.

Vilma Zotti elogiou o empenho do companheiro na conservação de sementes. “Eu ajudo na enxada, para carpir, mas só em roda da casa. Eu quebrei o fêmur esses tempos, aí dói, mas eu me viro com tudo o que aparecer em casa. Ele trabalha demais nas lavouras. Não para.

A gente come tudo da lavoura, feijão, arroz, mandioca, tudo da lavoura. Eu me viro com a casa, as pessoas que vêm comprar sementes e eu faço a venda. A gente vende pacote de 100 gramas e  a qualidade é bem boa, o que plantar nasce”.

 

Publicação do Jornal de Beltrão- PR,  em 09 março 2021.

Dois Vizinhos_Igreja St Antonio Padua (2

Casal  Isac Miola e Vilma Zotti

Uma conversa simples e rica de informações.

É história. É cultura.

ao se encontrarem com a terra fazem nascer uma agricultura magnifica, cheia de agroecologia, que se espalha entre sonhos e projetos das Mulheres Agriculturas,  Agricultores e dos povos das águas e das florestas.

IMG-20210508-WA0004.jpg

Mais de 300 variedades

              de Sementes Crioulas

IMG-20210508-WA0000.jpg
diversas sementes.jpeg

Kalliste Turismo    

Site: www.kalliste.curitiba.br

E-mails:  kalliste@kalliste.com.br    

              kalliste.turismo.curitiba@gmail.com

Tel. +55.41.3369-2612      //  41.9 8111-1579 Whatsapp 

81.540-470-Curitiba - Paraná